Mais Cor, Mais Vida leva arte e cultura para escola reconstruída após incêndio

O ano de 2021 começa com uma ação transformadora no Colégio Estadual Professora Maria Balbina, no bairro do Tarumã. A partir do próximo dia 11, a escola recebe a segunda edição do projeto Mais Cor, Mais Vida. A iniciativa reunirá artistas que farão intervenções de graffiti e lambe-lambe em uma ação social para mudança da arquitetura paisagística das estruturas do colégio.

Viabilizado pela Lei de Incentivo à Cultura da Prefeitura Municipal de Curitiba e Fundação Cultural com incentivo da Celepar e Ademilar, o Mais Cor, Mais Vida também promoverá uma série de oficinas on-line nas áreas de fotografia, dança, arte brasileira, experimentação musical, desenho livre, graffiti e introdução ao audiovisual. As atividades são gratuitas e estarão disponíveis, em um primeiro momento, para alunos e professores do colégio e depois para o público em geral no site http://maiscormaisvida.com

Para a idealizadora do projeto, a produtora cultural Beth Capponi, a ação educativa pretende ampliar o repertório cultural das pessoas por meio das oficinas de arte voltadas para a comunidade/escola e professores, juntamente com a curadoria, artistas e organizadores. “Queremos aprofundar o conhecimento nas áreas ofertadas e criar um debate enriquecedor em que o tema central seja a arte brasileira”, lembra Beth.

Do incêndio à transformação

A passagem mais triste do Colégio Estadual Professora Maria Balbina, desde sua fundação em 1981, aconteceu num domingo, dia 12 de março de 2017. Um incêndio criminoso deixou mais de 500 alunos sem aula. O fogo destruiu todo prédio administrativo, local da guarda de toda documentação escolar, dos materiais e recursos didático-pedagógicos e da biblioteca.

“Foi um ano de muita luta, até que o espaço fosse reconstruído. Porém não deixamos realizar nenhuma das programações definidas no calendário escolar”, conta a professora de artes Maria Alice Fernandes Vieira.

Maria Alice conta que logo após a ocorrência do incêndio ela procurou a produtora Beth Capponi para propor uma ação social e cultural voltada à revitalização do espaço escolar. Como primeira iniciativa foi realizada uma edição do Festival Cirandar e agora o Mais Cor, Mais Vida.

Segundo o curador do projeto, Estevan Reder, a ideia central da ação é levar diferentes técnicas artísticas para dentro do colégio. “Nosso objetivo é proporcionar aos alunos, professores e funcionários da escola um contato efetivo com a arte urbana. Acreditamos que com essas ações toda a comunidade envolvida crie um sentimento de pertencimento ao espaço público”, afirma Reder.

Oficinas e programação paralela

Para concretizar a transformação do espaço, foram convidados artistas com domínio de diferentes técnicas que estarão também ministrando as oficinas: Yvy Capponi – Ilustração, Douglas Reder – Desenho Livre; Marciel Conrado – Graffiti; Vantees – Fotografia e lambe-lambe e os convidados Fabrício Ribeiro e Jackson Vieira – Experimentação Musical, Lucas Delfino – Dança;  Antônio Camargo – Introdução ao audiovisual e Ruy Neto – Arte Brasileira.

O projeto será realizado em três etapas: a pintura dos murais, as oficinas on-line e a participação do convidado Santiago Rueda (Colômbia), doutor em Arte Contemporânea que ministrará uma conversa com a comunidade local de artistas, produtores e curadores no MuMa em data ainda a ser confirmada.  

Serviço:

Mais Cor, Mais Vida
Local: Colégio Estadual Professora Maria Balbina
Endereço: Konrad Adenauer, 668 – Tarumã
Intervenções: a partir de 11 de janeiro
Mais informações em http://maiscormaisvida.com
facebook.com/artemaiscormaisvida
instagram.com/maiscor.maisvida