Millôr, atual e fundamental

### Millôr Fernandes, que completaria 96 anos de vida nesta sexta-feira (16/08), adivinhou o futuro ao criar boa parte de sua obra. Charges, frases e aforismos publicados nas décadas de 1970, 80 e 90 parecem encomendadas sob medida para 2019. Não que o jornalista fosse alguma espécie de Nostradamus – embora tenha recebido certa vez o apelido de “Guru do Meyer”. O fato é que muita coisa ainda continua, até hoje, igualzinha a como era antes: ele já retratava com inigualável verve e humor ácido a corrupção, a burocracia, o populismo, os grampos telefônicos de autoridades, as delações, a violência, a estupidez. “O Brasil tem um passado enorme pela frente” era uma dessas suas máximas. Bingo.

Não tivesse partido dessa para melhor aos 88 anos, em 2012, o mestre teria em mãos farto material para continuar criando. O fato é que sua obra segue atual e factual.

Não sabemos por qual motivo, mas a página oficial do Millôr, que continha um volume considerável de seu acervo, saiu do ar. Até por isso é importante celebrá-lo sempre e relembrar sua obra de tempos em tempos.

Em se tratando de jornalismo brasileiro, Millôr é um ícone e (ao menos deveria) uma inspiração. Não foi apenas jornalista e desenhista, mas escritor, tradutor, dramaturgo. Um grande ídolo para nós da zelig. Começou a trabalhar ainda jovem na revista O Cruzeiro, iniciando precocemente uma trajetória pela imprensa brasileira que deixaria sua marca nos principais veículos de comunicação do país por mais de 70 anos.

Um de nossos livros prediletos é Millôr Definitivo – A Bíblia do Caos, que traz 5.142 pensamentos, preceitos, máximas, raciocínios, considerações, devaneios, ideias, obsessões, meditações, despropósitos, sandices, reflexões, insultos, desabafos e paranoias do autor. Nele, aprende-se uma lição interessante: vindo de um gênio, mais vale um mau trocadilho do que trocadilho nenhum.

Hoje, no aniversário do grande Millôr, a zelig selecionou 39 dessas frases e algumas charges atualíssimas para os nossos leitores saborearem sem moderação:

“Até quando continuaremos a ser comandados por pessoas que nem chegam a ser burras?”

“O Brasil é, sempre foi, uma empresa unifamiliar.”

“Brasil, o país do faturo.”

“O Brasil é o país do mundo que tem mais ventríloquos.”

“O Brasil está dividido entre os abertamente cínicos e os que não conseguem se conter.”

“Brasil: um filme pornô com trilha de Bossa Nova.”

“Brasil, condenado à esperança.”

“Cabral descobriu o Brasil enquanto estava procurando o acaso.”

“Dom Pedro I, acordando de ressaca em 8 de setembro de 1822: – Eu ontem proclamei o quê?

“O cadáver é que é o produto final. Nós somos apenas a matéria prima.”      

“Todo mundo tem uma porção de amigos que detesta e um ou outro inimigo de que gosta.”

“A grande dúvida nacional: – Com gás ou sem gás?”

“O maior anticoncepcional é o mau hálito.”

“O preço da fidelidade é a eterna vigilância.”

“Livre como um táxi.”

“Como são admiráveis as pessoas que não conhecemos muito bem.”

“Imprensa é oposição. O resto é armazém de secos e molhados.”

“A ditadura é a esclerose da rebelião.”

“O otimista não sabe o que o espera.”

“Ser pobre não é crime, mas ajuda muito a chegar lá.”

“A diferença entre a galinha e o político é que o político cacareja e não bota o ovo.”

“Pois eu, num pôquer com Maluf e Brizola, só entrava com baralho meu.”

“Em política nada se perde e nada se transforma – tudo se corrompe.”

“Como diz o cara absolutamente íntegro apanhado roubando: ‘bem, eu também sou humano’.”

“Feliz é o que você vai perceber que era, algum tempo depois.”

“Generalizando-se a corrupção, restabelece-se a Justiça.”

“Além de ir pro inferno só tenho medo de uma coisa: juros.”

“Ainda está pra nascer o erudito que se contenha em saber só o que sabe.”

“A alma enruga antes da pele.”

“Ambíguo, eu? Pode ser, pode não ser.”

“Quando começou a comprar almas, o diabo inventou a sociedade de consumo.”

“Idade da razão é quando a gente faz as maiores besteiras sem ficar preocupado.”

“A diferença fundamental entre Direita e Esquerda é que a Direita acredita cegamente em tudo que lhe ensinaram, e a Esquerda acredita cegamente em tudo que ensina.”

“Mordomia é ter tudo que o dinheiro — do contribuinte — pode comprar.”

“Pessoa Física é como se chama o homem comum quando é achacado pela Receita Federal.”

“Antigamente os animais falavam. Hoje escrevem.”

“Ainda está pra nascer o erudito que se contenha em saber só o que sabe.”

“De todas as taras sexuais, não existe nenhuma mais estranha do que a abstinência.”

“Todas as generalizações estão erradas menos esta.”